Domingo 14 Agosto 2022

O modelo relacional para gerência de bases de dados (SGBD) é um modelo de dados baseado em lógica e na teoria de conjuntos.

Baseando-se em dois conceitos: 

  • Entidade

Uma entidade é um elemento caracterizado pelos dados que são recolhidos na sua identificação vulgarmente designado por tabela. Na construção da tabela identificam-se os dados da entidade. A atribuição de valores a uma entidade constrói um registro da tabela.

  • Relação

A relação determina o modo como cada registro de cada tabela se associa a registros de outras tabelas.

 

Dos conceitos do modelo relacional retiramos as seguintes definições:

  • Banco de Dados, formado por um conjunto de TABELAS onde o lay-out é mantido pelo próprio Banco de Dados.

São estruturas lógicas mantidas pelo DB2 para representar uma entidade. Ex.: TABELA CLIENTES.

  • Cada TABELA é formada por um conjunto de COLUNAS. O nome e formato das COLUNAS é mantido pelo Banco de Dados.

Cada uma das informações que compõem uma tabela. Ex.: TABELA: CLIENTES

COLUNAS:

  • CODIGO
  • NOME
  • ENDEREÇO
  • DATA DE NASCIMENTO
  • TELEFONE

LINHA

Cada conjunto de valores das colunas formam uma instancia da entidade. Ex.:

TABELA CLIENTES

COLUNAS

CODIGO

NOME

ENDEREÇO

DATA NASC

TELEFONE

LINHA 1

000001 JOSE R. NOVA 25/02/87 9999-9999

LINHA 2

000002 PAULO R. VELHA 10/10/92 9888-8888
  • O relacionamento entre as TABELAS é representado pelos VALORES contidos nestas TABELAS.
  • Para se efetuar uma pesquisa nas TABELAS especifica-se uma TABELA RESULTADO. O DB2 pesquisa o conteúdo de suas TABELAS e monta a Result Table conforme a especificação da pesquisa.

 

O conceito foi criado por Edgar Frank Codd em 1970, sendo descrito no artigo "Relational Model of Data for Large Shared Data Banks".