Quarta, Dezembro 13, 2017

A instrução MULTIPLY multiplica os itens numéricos e define os valores dos itens de dados iguais aos resultados.

 

Formato 1: O valor do identificador-1 ou literal-1 é multiplicado pelo valor do identificador-2 ; o produto é, em seguida, colocados em identificador-2 . Para cada ocorrência sucessiva de identificador-2 , a multiplicação tem lugar na ordem da esquerda para a direita em que identificador-2 é especificada.

>>-MULTIPLY--+-identifier-1-+--BY------------------------------->
             '-literal-1----'
 
   .---------------------------.
   V                           |
>----identifier-2--+---------+-+-------------------------------->
                   '-ROUNDED-'
 
>--+--------------------------------------------+--------------->
   '-+----+--SIZE ERROR--imperative-statement-1-'
     '-ON-'
 
>--+-------------------------------------------------+---------->
   '-NOT--+----+--SIZE ERROR--imperative-statement-2-'
          '-ON-'
 
>--+--------------+--------------------------------------------><
   '-END-MULTIPLY-'
 

 

Formato 2: O valor do identificador-1 ou literal-1 é multiplicado pelo valor do identificador-2 ou literal-2 . O produto é, em seguida, armazenados nos itens de dados referenciado pelo identificador-3 .

>>-MULTIPLY--+-identifier-1-+--BY--+-identifier-2-+------------->
             '-literal-1----'      '-literal-2----'
 
           .---------------------------.
           V                           |
>--GIVING----identifier-3--+---------+-+------------------------>
                           '-ROUNDED-'
 
>--+--------------------------------------------+--------------->
   '-+----+--SIZE ERROR--imperative-statement-1-'
     '-ON-'
 
>--+-------------------------------------------------+---------->
   '-NOT--+----+--SIZE ERROR--imperative-statement-2-'
          '-ON-'
 
>--+--------------+--------------------------------------------><
   '-END-MULTIPLY-'
 

 

1-identificador , identificador-2

Deve nomear um item numérico elementar. identifier-1 e identificador-2 não pode ter campos de data.

literal-1 , literal-2

Deve ser um literal numérico.

identifier-3

Deve nomear um item numérico ou numérico-editado elementar.

identifier-3, GIVING, é o único identificador na demonstração multiplicar esse pode ser um campo de data.

Se identificador-3 nomes um campo de data.

Itens de dados de ponto flutuante e literais podem ser usados ​​em qualquer lugar onde um item de dados numérico ou literal pode ser especificado.

Quando a opção de compilador ARITH (COMPAT) está em vigor, a composição de operandos pode conter um máximo de 30 dígitos. Quando a opção de compilador ARITH (EXTEND) está em vigor, a composição de operandos pode conter um máximo de 31 dígitos.

 

ROUNDED

Para formatos de 1 e 2.

 

SIZE ERROR

Para formatos de 1 e 2.

 

END-MULTIPLY

Este terminador de escopo explícito serve para delimitar o escopo da instrução MULTIPLY;

END-MULTIPLY permite que uma instrução MULTIPLY condicional seja aninhada em outra instrução condicional;

END-MULTIPLY também pode ser usado com uma instrução MULTIPLY imperativa.

 

A Historia do cobol

A Historia do cobol

COBOL significa Common Business Oriented Language, isto é, Linguagem Comum Orientada para o Comércio. O Cobol é um subconjunto de palavras da língua inglesa, ou seja, um número limitado de palavras inglesas sujeita a uma sintaxe própria. É uma linguagem que lida com problemas comerciais, envolvendo arquivos de dados de apreciáveis proporções (Seqüências/Vsam/Banco de dados DB2).   História: Criado por um comitê de investigadores de várias instituições civis e governamentais durante o segundo semestre de 1959. As especificações eram em grande parte inspiradas na linguagem de programação FLOW-MATIC inventada pela Grace Hopper - referida como "a mãe da língua COBOL." Em 8 de abril de...

Vagas

Em breve estaremos divulgando vagas de COBOL/CICS/DB2

Camisetas

IDENTIFICATION DIVISION

IDENTIFICATION DIVISION: Possui informações documentais, como nome do programa, quem o codificou e quando essa codificação foi realizada.    PROGRAM-ID nome do programa. (Obrigatório) AUTHOR nome do desenvolvedor. (Obrigatório) INSTALLATION nome da empresa ou local de geração do...

ENVIRONMENT DIVISION

ENVIRONMENT DIVISION: é a segunda divisão de um programa COBOL. Descreve o computador e os periféricos que serão utilizados pelo programa, fazendo ligação com o ambiente operacional onde o programa...

DATA DIVISION

DATA DIVISION: É a terceira divisão de um programa COBOL, descreve os arquivos de entrada e saída que serão usadas pelo programa. Também define as áreas de trabalho e constantes...

PROCEDURE DIVISION

PROCEDURE DIVISION: Contém o código que irá manipular os dados descritos na DATA DIVISION. É nesta divisão que o desenvolvedor descreverá a lógica do programa. Consiste em instruções executáveis ​​usando...

Comandos